Aprenda a inventar uma notícia



          Você está aí desempregado e pensando de que maneira vai conquistar seu lugarzinho no mundo dos assalariados e logo conclui: Jornalista não precisa de diploma! Então você corre para achar um furo de reportagem e… não acha nada?! Não se desespere, siga os exemplos e seja feliz!

           Eu já disse uma vez “Diploma, para quê?” e hoje vou mostro como você pode ser um jornalista, não precisa nem de notícia! Por exemplo:

terra

             A foto mostra exatamente o que eu pretendia dizer. Mano está pensando:

Por que demônios o sujeito se deu ao trabalho de escrever isso?! 

             A seleção brasileira jogou, mostrou a estréia de um batalhão de gente nova, uma série de fatos que poderiam ser noticiados e o sujeito {{Renato Pazikas}} me escreve uma pataquada dessas {{morra de inveja, ele foi até Nova Jersey para isso}}.

              Mas o sábio leitor e a nobre leitora já sabe que a imprensa esportiva é mesmo muito criativa e não se surpreende com o fato. Pois vamos a outra importante notícia que mudará sua vida:

g1

               Ufa! Já sabemos o que fazer quando um óvni abduzir nossas sogras {{ou seria ela mesma, a sogra, uma venusiana?!}}, e não se precipite a Aeronáutica já avisa logo:

(…)o Comando da Aeronáutica (Comaer) deve restringir sua atuação neste campo ao registro de ocorrências e ao encaminhamento desses registros para o Arquivo Nacional.

              Ou seja, se for mesmo um óvni e sua sogra precisar ser analisada, esqueça a Aeronáutica.

              Ah, é um fato relevante, dirá o inocente 'consumidor de informação’. Pois encontre justificativas para isso:

g2

              Isso é de fácil justificativa:

Imaginem só o tamanho do bicho desta goiaba?! 

               E como não poderia deixar de ser, a Folha de SP nos brinda com esta pérola {{duas em uma!}}:

folha

                 Fala a verdade você está louco para “Ser o primeiro de seus amigos a recomendar isso”, não está?!



Links do Ocioso...

8 comentários

  1. Anônimo says:

    É O FIM.

    A DECADÊNCIA DO JORNALISMO VIRTUAL, POIS OS MESMO NÃO POSSUEM PAUTAS DECENTES PARA PUBLICAR.

  2. TARDE says:

    Parabéns. Seu Blog é excelente. Já virei seguidor e estou divulgando lá na minha Lista do Bem. Apareça: www.tardesdemais.com.br
    Abraço

  3. kkkk
    E tem gente q ainda se revolta por nao precisar de diploma shuahasuhuasuh

  4. E quem julga que tipo de notícia é relevante?

  5. @Alexandre Salau

    Quem clica na notícia para ler, por exemplo...

  6. @Caipira Zé Do Mér

    Talvez eu tenha me expressado de forma dúbia.

    Estava fazendo referência ao texto deste artigo. Já que o autor considera que todos os exemplos citados são irrelevantes e exemplos de não-notícia, aparentemente indignos de serem veiculados ou difundidos, quem poderia decidir por mim, que notícias seriam relevantes o suficiente para serem publicadas?

    Ou o artigo é apenas retórica?

  7. @Alexandre Salau

    Você não se expressou de forma dúbia, apenas respondi o que me agradou mais, já que, obviamente, é impossível uma regra geral para que se saiba que notícias serão difundidas.

    Como também é óbvio que as notícias que estão contidas no texto são irrelevantes, exceto, talvez, para os jornalistas e editores que as publicaram.

    Mais óbvio que tudo isso junto é o tom jocoso do artigo.

    Abços

  8. O lance é que as metas das empresas nao preveem qualidade, mas quantidade, producao....

    Faça algo, nem que seja esdruxulo... é o jornalista "criando" a notícia...

Novo Comentário:

Quem fala o que quer ouve o que não quer. Se você estivesse certo não comentaria de forma anônima.
Sempre que o autor responder a resposta estará dentro do comentário separada por {{ resposta do autor }}.

O comentário requer registro pelos motivos explicados no Post Esclarecimentos