Voto obrigatório é democracia?!



              Quantos e-mails, discussões, perguntas você já ouviu sobre este tema? “Ah, que democracia é essa que te obriga a votar?” Hoje uma breve explicação a respeito…

                Aí o ser humano se irrita com Tiriricas e afins e resolve por a boca no mundo:
Que raios de democracia é essa que nos obriga a votar?
                Prezado ser humano {{ou quase isso, se for você um troll}}, a questão é mais ou menos assim: A democracia é mantida por aparatos anti-democráticos não vou citar autores famosos aqui para poder responder aos comentários com maior “panca”.
                Ah, o blogueiro pirou de vez o cabeção, esqueceu de fazer a pesquisa diária, bebeu, sei lá! Calma queridona, vamos a alguns exemplos:
pmjuiz
                 
                   Nem o mais ingênuo dos leitores vai dizer para a minha pessoa que a PM é democrática. A sentença do juiz é irrevogável {{claro, existem as instâncias, mas, ao final, é irrevogável}}. Entre outras coisas. O voto é mais um destes aparatos, apenas.
                   É, com toda certeza o mais simbólico deles, mas tem sua importância. Podemos pegar um exemplo de democracia {{vamos concluir que o Brasil é melhor exemplo, mas é bom quebrar paradigmas}}, que tal… Os Estados Unidos ?
                     Por lá o voto não é obrigatório, vejam só, que ótimo exemplo. Na última eleição a expectativa era que cerca de 136 milhões dos americanos votassem, um recorde. A realidade não ficou, de fato, muito longe {{125 milhões, se arredondarmos}}:
                     Isso significa que 44,6% dos americanos votaram ou ainda, que 64,1% dos aptos a votar como você poderia ler, se quisesse em matéria do New York Times {{não acredite em mim}}.
                     Em 2004, outro recorde, Bush foi eleito em uma eleição que levou às urnas cerca de 116 milhões de eleitores:
                     Ou seja, cerca de 41,6% dos americanos e um pouco menos do que os 64,1% de 2004. Mas não me importa aqui dizer quem votou, me importa saber quem não votou, para termos aí uma análise mais ampla…
                     Mas EPA! Calma lá! Não se perca nos números.
                     
                     As eleições por lá são proporcionais {{e o KIKO?!}}, vou tentar fazer uma analogia livre, para facilitar a compreensão…
Se o Brasil fosse os EUA {{teríamos Iphone 4 baratinho}} cada estado valeria um número específico de votos, segundo sua densidade demográfica {{se quiser ser chato pode me corrigir e dizer eleitores cadastrados, mas é quase a mesma coisa}}:
Cada estado da região Norte soma 1 voto –> N = 7 votos
Cada estado da região Nordeste soma 2 votos –> NE = 18 votos
Cada estado da região Centro-Oeste soma 2 votos –> CO= 6 votos
Cada estado da região Sudeste soma 4 votos –> SE = 16 votos
Cada estado da região Sul soma 3 votos –> S = 9 votos
{{Nem preciso dizer que é uma adaptação livre apenas para facilitar o entendimento, né?! Em todo caso, dito está}}
                          Isso significaria dizer que um candidato poderia ter mais votos e ainda assim perder as eleições, num exemplo extremo. Como?! Uai, o sujeito vence na região Sudeste {{16 votos}} e vence na região Sul {{9 votos}} somando seus {{25 votos}} e perde nas demais regiões por uma diferença de 1 voto, apenas. Seu adversário teria 31 votos contra os 25.
Incrível!
                       Mas até aí, queridão, você não provou nada, só que o voto proporcional é injusto. Pode ser, mas considere que os o voto optativo, nos EUA, ocorrem durante a semana, e calcule a quantidade de trabalhadores informais ou mesmo formais que não são liberados para votar, porque o patrão simplesmente não concorda com a sua posição política…
                      As últimas eleições americanas aconteceram durante uma belíssima terça-feira, dia, portanto, de trabalho, correto? Ah, é só mudar o dia das eleições. Ok, é só mudar mas isso facilita para quem está no poder manipular os resultados, ou não?!
                     Mas não vamos ficar no superficial, vamos ao cerne {{dados, dados, quero dados!}}:
dados{{não acredite em mim clica que aumenta em outra aba/página}}
                   
                 O vencedor da eleição, como se sabe, foi Obama. Seus principais eleitores?Negros e hispânicos {{alguma dúvida de que são os mais pobres nos EUA?}} e com baixa escolaridade {{ele também vence com escolaridade maior, mas a vantagem é ínfima em comparação aos demais}}.
                 Justamente os eleitores mais fáceis de se manipular a não votarem, simplesmente por dependerem demais dos salários e, consequentemente, dos patrões em questão liberarem do serviço em uma terça-feira.
                 Só por curiosidade, movi a barrinha que indicava a vitória de Bush em 2004, para ver se ele venceu com os votos das minorias e… que surpresa, não! Perdeu feio… veja você mesma (o):
dados2{{não acredite em mim é o mesmo site que o link anterior, mude a barra na esquerda para 04…}}
                          Note que Kerry ganhava com maior e menor graduação {{não alcoólica, mas escolar}} e entre os negros. O diferencial foi, exatamente, a proporcionalidade aliada à não obrigatoriedade dos votos.
                         Há ainda outro fator bem esclarecedor para nós, a média salarial e a quantidade de votos, repare, no gráfico abaixo, que as menores rendas votam menos e as maiores rendas votam mais:
voto_salario2voto_salario1 
{{no gráfico à esquerda a quantidade de votos para faixa salarial anual entre 16 mil e 25 mil dólares, no gráfico à direita os mesmos dados para faixa salarial entre 25 mil e 33 mil dólares}}{{não acredite em mim, clique no “Median Income” para ver os dados}}
                          Agora, leitores, pensem no Acre ou outro estado pequeno, sem proporcionalidade, exatamente como hoje, no Brasil.
                           Por lá alguns políticos somem com barcos {{Xapuri é um exemplo}} para a população não ir votar, mesmo com o voto sendo obrigatório, a prova é a preocupação que o governo sempre tem em mandar tropas do exército para garantir os votos:
                 Quando o voto não é obrigatório é dado ao patrão a chance de não liberar o empregado a ir votar. O patrão poderia não permitir que seu assalariado {{papo de comunista? Mais ou menos…}} participasse das eleições.

                   O voto é obrigatório, portanto ocorre aos domingos, e, mesmo as que trabalham aos domingos tem o direito assegurado de irem votar, sem desculpas do patrão ou medo de perder o emprego…


Minha conclusão? O voto ser obrigatório é uma garantia de democracia, e não o contrário…


Links do Ocioso...

28 comentários

  1. Rapaaaaz, me perdi no meio de tantos números e gráficos, continuei sem entender picas das eleições dos EUA (mas também não me esforcei, confesso), mas consegui pegar o x da 'questã'. De fato, parece que você tem mesmo razão, que o voto obrigatório acaba por garantir a democracia. Aliás, você não precisa votar,se não quiser. Precisa se apresentar à justiça eleitoral no dia do pleito ou depois, para justificar ausência. Votar ou não é sim uma opção, afinal de contas a teclinha 'branco' não está na urna à toa.

  2. Não acho que o voto obrigatório garanta DEMOCRACIA. Não garante sequer idoneidade na eleição. Apenas é um mecanismo de controle. Que acaba favorecendo coronéis em currais eleitorais (sim, eles ainda existem aos montes). Abraços.

  3. @Marcel Dias

    Concordo que ele, apenas, não garanta a democracia, mas é uma das formas de se garantir sim... O coronelismo vai existir sempre, mas, para mim, é mais fácil controlar um cabresto se você pode proibí-lo de ir votar do que ter a certeza do voto dele, ainda que o sujeito troque por qualquer coisa o seu voto...

    []'s

  4. lully1970 says:

    Como advogada ( não praticante) e amante de História, só posso lamentar por muita gente ainda achar q voto obrigatório é um "mal necessário"...
    E q o brasileiro só vai aprender a votar na obrigatoriedade... Balela... Isso é a polìtica do voto útil... Inocente útil... O povo virou utilidade , objeto ...

  5. Democracia não dá certo em nenhum lugar. Povo não tem cabeça, nem é gado para ser apurado a granel

  6. caio says:

    Tiririca é democracia?!

  7. Anônimo says:

    O voto obrigatorio só prova a falta de democracia deste pais onde coronéis continuam no poder e se garatem através da obrigatoriedade do voto, se realmente algum politico brasileiro tivesse intenção de trabalhar para o povo criariam leis de voto não obrigatorio e tempo de mandato ou seja após dois mandatos não poderia se eleger novamente, e tbem que se acababe com este monte de mordomia aos politicos, duvido que se um politico ganhasse um salario teria este monte de gente concorrendo a cargo de deputado entre outros, e porque um cadidato a deputado não é exigido no minimo ensino médio na minha opinião deveria ter ensino superior pra qualquer cargo publico temos deputados que mau sabem escrever o proprio nome. Infelizmente isso é foi e sempre sera esta pouca vergonha que hoje vemos no horario eleitoral gratuito, gratuito só no nome pois vc assistindo ja esta pagando .............

  8. Daniel says:

    Olha só... o tema virou polêmica! Quem diria! Vou começar a oferecer cursos (pagos, óbvio) de política básica...
    hahaah
    quem quiser me pagar por eles: @danielbmf

  9. mcs says:

    Li e reli o artigo todo, com todos os seus dados, links e gráficos. E concluo que ele em nada prova que a obrigatoriedade do voto é benéfica para a democracia. No máximo, levanta um lado bom da obrigatoriedade, mas não posso dizer que é correto só por causa disso.

    Basta olhar as maiores democracias do mundo: todas tem o voto facultativo. E outra: o direito da pessoa votar pode ser garantido de outras formas que não arbitrariedade.

    O voto obrigatório cria toda uma indústria da ignorância e do convencimento barato, que faz uma musiquinha e um "vote em mim porquê sou famoso e engraçado" serem mais importantes do que propostas de fato.

    Como já dizia Renato Russo, "vamos celebrar o voto dos analfabetos".

  10. @mcs

    Opa! Obrigado por ler e reler...

    Lembrança inútil {{sei que foi só uma referência, mas não custa lembrar}} os analfabetos não são obrigados a votar... ;)

  11. Jolasz says:

    "Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual."

    "O voto, também chamado de sufrágio censitário, é típico do Estado liberal (século XIX)(...) A prática do voto obrigatório remonta à Grécia Antiga, quando o legislador ateniense Sólon fez aprovar uma lei específica obrigando os cidadãos a escolher um dos partidos, caso não quisessem perder seus direitos de cidadãos. A medida foi parte de uma reforma política que visava conter a radicalização das disputas entre facções que dividiam a pólis".

    O problema dos conceitos nos manuais e a relação deles com a realidade, é que a conclusão fica aberta a interpretação.
    Para entendermos a ração da obrigatoriedade do voto brasileiro precisamos nos transportar à história em uma rápida viagem:
    Caso o presidente Lula passe a faixa de presidente para o próximo do cargo, teremos um feito inedito no Brasil:20 anos de alternancia de poder legítimo, onde os representantes, democraticamente eleitos, ficaram até o final de seus respectivos mandatos.

    Nós, apesar de tudo que é dito, não temos uma democracia consolidada. Nossa Constituição Federal, apesar das suas várias emendas, tem somente 20 anos de idade.
    Se compararmos a democracias mais "maduras", sim, nosso país, eleitoralmente falando, começou a engatinhar recentemente.


    No melhor dos males, temos a democracia, que até o presente momento, demonstrou ser o regime político ("menos pior") experimentado por nós (sei que tem gente que não gostou do que falei). Intrínseco à democracia, está o sufrágio - o direito de eleger e ser eleito.
    Entretanto, o povo brasileiro não sabe votar. Isso é fato. Da mesma forma que não sabe, não se interessa, muito menos se importa com o voto, ou com o político que o representa.
    A obrigatoriedade do voto se explica muito mais pela representatividade da vontade da população do que pela preguiça de andar até a zona eleitoral mais próxima e votar.
    Como citado no artigo, os últimos dois presidentes norte-americanos foram eleitos com menos de 50% da população do país. Pergunto: cadê a vontade da maioria? Pior do que isso. Aqui, a eleição presidencial é resolvida por maioria absoluta (50%+1), lá, por muito menos do que isso se elege o presidente da república.
    Em outras palavras, aqui, o presidente, gostando alguns ou não, é obrigatoriamente eleito pela maioria da população no único dia de votação. Ou seja, na teoria (e na prática), o presidente foi realmente eleito pela vontade da maioria. Agora, se o presidente no decurso do tempo representa seu povo de foram legítima ou não... é outro assunto.

    Concluindo: O brasileiro precisa aprender a votar, enquanto isso nossa democracia é amadurecida. Isso se faz somente de uma forma: votando. Mais do que isso. Querendo ou não, a representatividade do poder executivo (e só deste), é de fato, no momento da escolha, reflexo da vontade da maioria (mesmo que essa sofra lavagem cerebral).
    Talvez, quando nossa democracia estiver consolidada a pelo menos mais de 100 anos, podemos dizer que aprendemos a votar, e aí sim, podemos ter o direito do voto facultativo, esse, da melhor forma possível: Conquistado.

    Antes disso, em vez de reclamarmos de irmos ao domingo escolher quem vai guiar nosso futuro, deveríamos nos preocupar mais com o sistema de maioria relativa do Congresso e com os suplentes de senadores!

  12. Drug says:

    Sinceramente, achei o post muito interessante. Eu não conhecia esses números e até mesmo que nos EUA não era um feriado, como aqui, para as eleições.
    Contudo, não concordo em que a obrigatoriedade garante a democracia. Isso só garante que todos votem. Quem entende, vota. Quem não entende, vota. Quem está nem aí, vota.
    As pessoas perdem muito do interesse por tudo o que são obrigadas a fazer e não, simplesmente, o tem direito de fazer. Elas não tendo o interesse necessário, não procuram informação, não procuram conhecimento... Nessas eleições muitos vão votar em deputados que não sabem o que fazer, por que elas próprias não sabem o que os deputados deveriam fazer...
    Acredito que o voto facultativo filtraria um pouco dessa desinformação, tornando, talvez, algo mais benéfico em resultados.

  13. Daniel Bmf says:

    Credo, de onde vcs tiram que "Entretanto, o povo brasileiro não sabe votar. Isso é fato.".
    Esse senso comum não resiste a 15 minutos de estudo sério.
    Não existe o mito do "Voto Consciente". Afinal, pessoas em coma não votam, então não existe seu par oposto, o "Voto inconsciente".

    As pessoas, racionalmente e dotadas de interesse pessoal simplesmente votam, escolhem 1 e não outro. Dai falam: "Ah, mas o Tiririca...". O Tiririca é 1 entre 513 (mesmo que seja o mais votado...o poder será de 1... alias, na prática da Câmara será de 0,1)....
    Se alguém se interessasse em realmente estudar o tema descobriria que:

    1) O voto é completamente racional e interessado... Do mais pobre ao mais rico, do mais preto ao mais branco, do mais nordestino ao mais sulista.
    2) Existe um grande elemento ideológico na política nacional,
    3) O que norteia a política nacional não é "a roubalheira" e sim o interesse de grupos sociais (ideológicos, pq não?),
    4) A indicação pelo presidente (governador e prefeito) de pessoas para ocupar importantes cargos no Estado nada mais é do que a forma de implementar na prática a política para a qual foi eleito...
    5) etc etc etc...
    6) Fora que o sistema eleitoral brasileiro é de longe o mais seguro e sério do mundo... Americanos vem ao Brasil literalmente aprender como fazer eleições...

    Em suma, devia-se discutir muito mais a Politica e a Realpolitik, do que coisas bem menores... Isso sim, para os que se preocupam, diminuiria a porcentagem de "ladrões e safados" na política...

  14. @caio

    Claro que é!
    Não 'tiririque' seu voto, meu caro, mas deixe o Tiririca se candidatar em paz.

  15. @Anônimo
    vc disse: "e porque um cadidato a deputado não é exigido no minimo ensino médio na minha opinião deveria ter ensino superior pra qualquer cargo publico temos deputados"

    Pronto! Aí é que democracia vai pro beleleu de vez! Acaba-se com toda e qualquer chance de representatividade ampla!!!

  16. @mcs

    Vamos sim... analfabeto não sabe escrever, mas no resto, é igualzinho. Celebremos sim, e sempre, o voto dos analfabetos, até que um dia eles não hajam mais, e esse dia nem tarda a chegar, pode crer!

  17. Anônimo says:

    Qual é a necessidade do voto obrigatório? Nenhuma em países sérios! Já na Banânia do Sul é obrigatório porque se não é só dar uma bolsa-esmola que vc obtém 100% de aprovação, já que quem se diz "educado" não iria votar por pura preguiça. Imagine só Lulla eleito e re-eleito incontáveis vezes graças ao seu "pograma sociau"... ruim está, pior pode ficar!

  18. Anônimo says:

    Eu não sou anônimo - posto meu nome e e-mail: Gustavo de Paula, gugadepaula@hotmail.com.

    Usando o Tiririca como exemplo de democracia: o simples fato de um semi-analfabeto pobre e legítimo representante simbólico do escracho e total alienação política - seu eu estiver forçando a barra, me avisem - poder ser candidato a deputado (representante do povo) é sinal de democracia!!

    Ele representa a antítese do que todos os demais (tentam - fingem?) representar - e ainda assim pode se candidatar, tem direito a tempo na TV como todos os outros, etc. Ele presta contas da campanha, segue as regras, não atenta contra a moral e bons constumes. Então, segue as regras do jogo - porque não poderia ser deputado?

    Não poderia por um motivo simples: se o povo ao qual pretende representar não quisesse. Mas e se o povo quiser? Se o povo quiser - e este é o princípio básico da democracia - então ele pode. E deve. E ponto. Não se discute.

    Democracia é isso. Goste você ou não.

    Se não gostar, vá viver numa ditadura - tem várias pelo mundo afora...

  19. Alguns parentes mais velhos e mesmo conhecidos, hà algum tempo falavam que somente os militares colocariam o país em ordem, discordo mas eles tinham certeza disso, se fosse na época dos militares, eu acho que não deixariam "tiriricagens" acontecer...

  20. @Marcos Abreu Silveira

    Prefiro com Tiririca e sem militares, teus parentes que me desculpem...

    :)

    Abraços

  21. vinicius says:

    Li o artigo e alguns comentários. Então caso venha a repetir alguma idéia já citada me perdoem.

    Mas o caso é que a obrigatoriedade do voto é uma faca de dois gumes.

    Obrigar uma pessoa a votar, quando digo votar entenda-se a ter de se deslocar até a urna, vai contra todos os principios de uma democracia de direito. Aonde nós eleitores teríamos o direito de escolher não só em quem votar, mas se desejamos votar.

    Ninguém em uma democracia de fato e direito pode ser obrigado a votar.

    Por isso em minha opnião o voto obrigatório ainda é um atraso na democracia brasileira.

    Porém como disse antes, este assunto é uma faca de dois gumes. Então vamos analisar o outro gume desta faca.

    A sociedade brasileira esta apta a adotar outro método ?

    Sinceramente acho que não.

    Hoje se o voto deixasse de ser obrigatório a maioria dos brasileiros simplesmente deixariam de ir as urnas por um simples motivo. Preguiça.

    "Poxa, mas hoje é domingo. Meu dia de descanço, eu nao vou para essa porra não. É tudo ladrão mesmo"

    Esse seria o pensamento da maioria. As eleições se tornariam uma decisão de pequenos grupos. O que sinceramente facilitaria em muito a manipulação.

    A população brasileira ainda não está pronta para uma democracia de fato.

    Ainda somos uma democracia extremamente jovem, onde se formos realmente contar teremos apenas 4 eleições realmente realizadas em sua plenitude e 1 nem tanto. E 2 presidentes realmente eleitos que terminaram seus mandatos.

    Isso em um país com mais de 500 anos de história, mas com pouco mais de 100 de republica (1889).

    E uma republica que sofreu, e muitas vezes se viu quase que extinguida.

    Então, infelizmente, o voto obrigatório ainda é sim necessário como uma forma de conseguirmos colocar na mente das pessoas a importância da escolha correta de seus governantes.

    Mas que a medida que a democracia for se fortalecendo e se enraizando nas pessoas deverá ser abandonada.

    Por enquanto senhores essa é a nossa democracia, com tirica mesmo e sem os militares.

    Só para finalizar o texto, essa é uma opnião pessoal. Mas sinceramente não acho que os militares foram um mal (com L ou com U nunca sei rsrsr) para o BRASIL.

    Para aqules que estudarem a história, mas sem pender já para um lado, verá que aquela não era uma época onde as coisas se resolviam de forma pacifica. Seja qualquer um dos cunhos ideologicos existentes.

    Mas como disse essa é uma opnião pessoal.

    Bem essa é a minha opnião.

  22. No seu artigo o que se rebate é muito mais a possibilidade do cidadão ser liberado para votar do que efetivamente se o voto facultativo ou o voto obrigatório é melhor para a sociedade. Para uma discussão mais profunda sobre o voto facultativo acesse: http://politicaeverdade.wordpress.com/2010/09/22/se-e-democracia-o-voto-tem-que-ser-facultativo/

  23. tania says:

    Bom, li algumas vezes o post, e tb li todos os comentários...

    De cara eu digo que sempre fui à favor do voto facultativo, mas confesso que consegui enxergar o fato do seu ponto de vista...


    Acredito que o voto facultativo seja uma POSSÍVEL solução aos "supostos" votos de protesto. (Aqueles votos absurdos, como: Ah, vou votar no Tiririca, piór que tá não fica mesmo!)

    Sabe, muita gente vota por obrigação, não acompanham as campanhas eleitorais, nem sabem direito quem são os candidatos, votam em quem está ganhando, (caraca, falo porque já ouvi muito isso...) , essa é a realidade, as pessoas mais indiferentes à política (a grande maioria dos brasileiros infelizmente), observam apenas as manchetes revelando a porcentagem de votos em pesquisas e votam em quem está na frente só porque acham que se a maioria quer assim deve ser melhor.

    Gente, quando falam que a mídia é manipuladora, não interpreto que seja de uma forma direta (apesar de saberbos que também existe isso em nosso país, rsrsrsrs), mas sim de uma forma indireta, sabendo que os brasileiros estão desapontados com essa política suja quee vem sendo esfregada em nossas caras e empurrada a seco em nossas gargantas, a maior parte não se preocupa em pesquisar os candidatos e escolher com calma e seriedade o seu eleito, simplesmente vota no mais popular, porque não quer perder o voto, ou quer acompanhar a maioria.

    Entendi perfeitamente que o voto obrigatório garante nosso direito de votar, pelo fato de haver a possibilidade de manipulação de poderes maiores... Porém, sejamos francos, (me perdoe se estou sendo inconveniente), mas as pessoas mais e pobres, mais sofridas e necessiadas de uma política séria e planejada, são as pessoas que menos se interessam por política, são aquelas pessoas infelizes que passam horas reclamando do país, reclamando do presidente, governador e prefeito, mas que mal se lembra em quem votou pela última vez. As pessoas se preocupam tanto com os cargos mais importantes e quase esquecem de votar em vereadores e deputados, que em minha humilde opinião, são os mais relevantes, pois é através deles que as leis e as mudanças necessárias podem ou não ser aprovadas. Já vi muita gente no dia da eleição pegar qualquer folheto no chão (mesmo sendo proibida a boca de urna), e votar no deputado ou vereador descrito por não ter um canditado em mente, ou então simplesmente votar na legenda do partido de seu candidato, porque não se preocupou em escolher alguém que possa lutar pelas causas que acredite.

    Concordo plenamente que nossa democracia é ainda prematura, e que talvez a liberdade de querer votar ou não possa ser influenciável e até mesmo manipulável, mas será que hoje em dia ainda não é? Tipo, eu simplesmente acredito que se somente as pessoas que se importam com o futuro desse país votassem, TALVEZ os resultados seriam mais justos...

    Mas um sonho, geralmente não passa de um sonho...

    Obrigada pela atenção, e perdoem-me por me estender tanto... Um abraço a todos, e parabéns pelo BLOG, vou divulgar a meus contatos, temos que lutar contra a cegueira desse povo!!

  24. Oi Tania,

    Discordo que as pessoas de origem humilde não se interessam pela votação, aliás, vou discordar de você com um post, porque muita gente diz isso aí e a realidade é outra.

    O tema é polêmico mesmo, muito obrigado por frequentar o blog e comentar!

    Abços

  25. tania says:

    Obrigada, sei que estou generalizando demais, mas não falo isso por dedução, e sim pela convivência com pessoas menos desprovidas de cultura e rendimentos... Sabe, eu também acredito na luta pelo povo, mas não tenho mais acreditado que o povo esteja lutando por si...

    Aguardo o post... Nada é definitivo na vida, ainda posso me render aos seus argumentos, haushaushs, porém, acho difícil...

    Beijos,

    PS: Seu blog está bem polêmico hein, apesar de discordar em quase tudo com você, é sempre bom escutar outras versõas de uma mesma história...
    Parabéns!!!

  26. Fernando Alves says:

    Êta, confusão, gente ninguém é obrigado a votar apenas a comparecer a uma seção eleitoral e teclar uma urna com 3 opções: escolha um candidato, deixe em branco ou anule. Caso não queira votar (pois não é obrigatório) opte por uma das duas últimas. Será que é tão difícil assim entender isso? E que é que a democracia tem a ver com isso? Absolutamente nada.

  27. Discordo da sua conclusão, para resumir tudo.

    Poderia se garantir a democracia com voto facultativo, todos os argumentos colocados são facilmente sanados com instrumentos e políticas de governo.

    Essa coisa de: se não quiser votar, vote nulo ou justifique não cola. É diferente simplesmente de você não sair de casa ou não ter o mínimo trabalho com uma eleição.

Novo Comentário:

Quem fala o que quer ouve o que não quer. Se você estivesse certo não comentaria de forma anônima.
Sempre que o autor responder a resposta estará dentro do comentário separada por {{ resposta do autor }}.

O comentário requer registro pelos motivos explicados no Post Esclarecimentos