Proibição da Burca?! Liberdade, igualdade e fraternidade!



França e Bélgica propõem leis para proibir a Burca. Uma escola espanhola expulsou uma menina pelo uso da Burca. E a Liberdade a igualdade e a fraternidade ficaram no passado?



           Por mais que sua cabeça - e a minha - entendam que o objeto ao lado seja um símbolo de repressão e opressão às mulheres, é preciso que entendamos que não somos nós, ocidentais quem exigimos o uso.

           Quem exige o uso são os homens e as mulheres orientais.



                  Uma outra cultura, portanto. E nesta outra cultura a burca é encarada de maneira diferente. Para a comunidade muçulmana a burqa deve ser usada para preservar a mulher. Para que ela possa seduzir o homem apenas com os olhos e, desta forma, evitar que ela seja visto como mero objeto.

                  Você pode discordar. Não há problemas. Mas não diga que isso aqui não faz da mulher um objeto:

Faz da mulher objeto, mas é bonito de ver...



             A questão, infelizmente, deixou de ser: Concorda ou Discorda.

            A França propôs projeto de lei PROIBINDO a Burca.{{não acredite em mim}} Assim como a Bélgica. {{não acredite em mim}} E a Espanha, como já disse, expulsou uma aluna muçulmana por usar a burca. {{não acredite em mim}}.

            No caso da Espanha a escola (aquela que deveria educar) não consegue ver a diferença entre uma burqa e um gorro ou chapéu. Para os diretores são a mesma coisa.

            Na terra da:  Liberdade, igualdade e fraternidade; em nome de uma libertação para as mulheres proíbe-se o uso da dita-cuja.

Estamos mesmo num mundo maluco.


Links do Ocioso...

26 comentários

  1. Icaro94 says:

    O problema é que a França não está proibindo as mulçumanas de usar a burca, apenas as que vivem na França. Uma francesa que mora no Afeganistão não teria que usar a burca? Normal que na França não se possa usá-la, pois a cultura francesa não é igual a árabe.

    "Em Roma, como os romanos."

  2. Ícaro,

    Mesmo na Roma antiga era permitido que os povos conquistados tivessem seus costumes.

    Você poderia ter o deus que quisesse na Roma, Cristo foi proibido não por ser um deus diferente mas por ameaçar o poder romano.

    Por esta lógica no Brasil será proibido torcer pela Argentina na copa...

    Pelo menos esta é a minha opinião...

    Obrigado pelo comentário e continue acessando... :)

  3. Anônimo says:

    Mandou bem Icaro.

  4. E.U. says:

    Eu sempre sou a favor da liberdade de escolha... acredito q cada pessoa deve ser livre para fazer o q bem entender, desde q não interfira na liberdade de outras pessoas. Portanto, se as muçulmanas querem usar burca, é uma opção delas. Porém, há também um outro lado... se vc vai em um país muçulmano, eles querem q vc se comporte como eles, vide o recente caso do casal q foi preso em Dubai por se beijar em público. Assim sendo, tb acho justo que outros países queiram exigir dos muçulmanos q se adaquem a sua cultura, afinal, esses países veem a burca como um instrumento de opressão da mulher. É uma questão mto complexa q pode gerar um longo debate, porém, na minha opinião, os países citados no post só estão querendo fazer o q os países muçulmanos já fazem com cidadãos de outras culturas, q é força-los a se adequarem a cultura do país em q se encontram. Essa reciprocidade é uma espécie de justiça diplomática. Por essa lógica, eu não acho q a atitude dos países supracitados seja mais reprovável q atitude dos países de origem muçulmana para com os não-muçulmanos.

  5. matias says:

    as mulheres muçulmanas que vivem na França e Belgica devem estar muito felizes, se livrarão dessa vestimenta ridícula que duvido que alguém goste de usar. Parabéns pela atitude

  6. Rafael says:

    Não sei...
    A burca é sempre uma imposição paterna.
    É machista e creio que os franceses fazem bem em proibí-la.Pra mim, a burca (e não o véu que as libanesas usam) está no mesmo patamar da mutilação genital na África, que é cultural e tradicional, mas abominável.
    Não cabe bem a comparação com os povos conquistados por Roma, pois as muçulmanos francesas que usam burca são de países fora do Magreb,que talvez nem fossem colônia francesa, sendo imigrantes voluntários.
    Pois bem, a lei francesa agora garante que todas as meninas são iguais,sem exceção, em seu território.
    Li que, na própria França, alguns muçulmanos estavam administrando tribunais clandestinos (não lembro como chama), baseados no corão.O 'FBI' francês prontamente os colocou na cadeia.
    Vale lembrar que 'Liberdade', mesmo na França, nunca foi fazer o que bem entender.
    Abraço.

  7. Anônimo says:

    Se vivemos num pais com uma cultura diferente da nossa, devos respeitá-la e não desafiá-la.

    Nos paises muçulmanos só uma pequena percentagem de mulheres usa a burca por opção e a razão não é a apresentada. As outras são forçadas.

  8. Anônimo says:

    Quem gosta desta merdah de burka são os psicopatas de esquerda, que não podem ver uma forma de repreensão que logo apoiam, vide o caso do dissidente morto em Cuba durante a visita do psicopata presidente.Se isso acontecesse no Brasil, provavelmente ele diria que Não sabe de nada e nem nunca viu uma burka.

  9. Anônimo says:

    É comum que uma mulher ocidental, quando viaja até a oriente medio ( paises predominamente muculmanos)tenha que usar algum tipo de roupa que normalmente não usaria. Só o faz porque o país em questão a obriga.
    Qual o mal se as mulheres que aqui estiverem, seguirem as regras das sociedades daqui ( ocidente)?
    Nõs não vivemos numa sociedade onde qualquer um faz o que quiser, as opinioes das outras pessoas importam e ditam algumas regras, que nós, gostando ou não, temos que seguir. E essas regras existem simplesmente porque nosso jeito afeta as pessoas ao redor. Pra ficar mais simples, é mais ou menos assim, Posso andar pelado no meio da rua??
    E ai eu volto a citar quem já disse tudo. o Icaro lá em cima: Em roma....

  10. E eu volto a me citar:

    Durante a copa do mundo será proibido torcer contra o Brasil?

    A lei apenas incita uma violência constante no 1º mundo em geral, que é a exclusão de grupos minoritários, ou xenofobia para ser mais claro...

    Mas ei, continua sendo a minha opinião!

    Obrigado a todos que acessaram, continue visitando!

  11. Anônimo says:

    Discordo da sua comparação com "torcer contra o Brasil", aliás qualquer comparação já é fugir do assunto, a questão em debate é a burca !

    Concordo com as opiniões citadas anteriormente, se você se dispõe a viver em outro país que não seja o seu, que aceite suas regras e costumes, sendo assim, se na França é proibido usar burca, que não usem a burca e pronto. Não está contente, Mude-se para o Brasil, aqui tudo (legal ou ilegal) é permitido mesmo ...

  12. Anônimo,

    Não é mudar de assunto não. Claro, você pode discordar, ninguém aqui é contra, aliás prefiro que discorde desta forma, educada, a concordar como alguns que não aprovei o comentário...

    Mas não mudei de assunto. Futebol faz parte da cultura brasileira, bem como a burqa faz da cultura muçulmana e etc.

    A questão em debate não sei se é a burqa, acho que é a proibição de um indivíduo em manter sua cultura original em outros países.

    Lembro que a burqa não ofende ninguém que não a use. Ou seja, melhor seria que a lei proibisse a OBRIGAÇÃO do uso da burqa do que o uso em si...

    []'s

  13. Alexandre says:

    Entendo o argumento do ImprenÇa Blog, mas não posso deixar de dizer que cada país tem o direito de ter suas leis e costumes. Se você é um estrangeiro, você é que tem que se adequar às leis e cultura do país que visita e não o contrário. Quer usar burca? Você é livre para usá-la em seu país. Veja bem, na nossa cultura ocidental, ver o rosto da pessoa com quem conversamos é fundamental, não é meramente uma questão de escolha. Pior, permitir que um hábito estrangeiro que é reconhecidamente ofensivo aos nossos costumes se instale, é ameaçar a nossa própria cultura, e o que isso representaria? Diálogo e inclusão? Pelo contrário!! A burca seria uma verdadeira muralha que impediria a comunicação cultural, literalmente isolando estes estrangeiros, possivelmente em guetos. Não estou dizendo que toda manifestação cultural do estrangeiro tem de ser suprimida, somente aquelas que conflitam diretamente com a cultura do país em que se encontra. Não é como no exemplo que citou sobre o futebol. Um argentino pode sim, vir ao brasil e torcer pela argentina, pois é da nossa cultura o futebol e cada um torcer pelo seu time. Não há conflito algum nisso. Agora, se um norte-coreano vier ao nosso país, e quiser comer meu cachorro, eu devo deixá-lo porque "é da sua cultura"?? Óbvio que não. E no caso da burca, não podemos generalizar na comparação com a modelo semi-nua exemplo de mulher-objeto. Ambos são os extremos da situação. O fato de não usar a burca não faz da mulher uma mulher-objeto como na foto.

  14. Obrigado Alexandre!

    Concordo, peguei dois extremos para a comparação, mas discordo de você quando diz que a burqa é ofensiva aos nossos costumes.

    Não acho ofensivo o uso da burqa. Simplesmente não me atinge de forma nenhuma. Acho estranho, como acho estranho alguém que reze virado para meca 5 vezes por dia...

    Acho ofensivo obrigar alguém a utilizar a burqa, mas repito, a maior parte das mulheres muçulmanas usam porque concordam com a burqa, porque para elas é mesmo ofensivo ficar sem ela.

    Proibir o uso da burqa, para mim, é uma forma de suprimir a religião alheia.

    Como já disse, o correto seria uma lei que proibisse a obrigação de uso da burqa. Associar a burqa com opressão, para mim, está errado.

    []'s

  15. Alexandre says:

    Tenho que discordar quanto à sua afirmação de que a burca não ofende a quem não use. Ofende sim. Não é aceitável na nossa cultura o anonimato, o esconder o rosto. Até na internet o anonimato é repudiado, quanto mais nas ruas. Você não pode andar por aí de capacete (até pode, mas é muito desagradável) e com certeza não pode entrar em estabelecimentos comerciais de capacete. E não existe isso de manter a cultura original em outros países. Isso sim significaria total racha cultural, gerando conflitos. Todos tem que se adaptar um pouco. Se fosse possível manter sua cultura intacta ao imigrar para outro país, isso significaria que a sua cultura estaria subjulgando a cultura nativa, pois ela estaria cedendo à sua, mas a sua não cederia à dela.

  16. Mas Alexandre, nenhum muçulmano pede que um Francês use a burqa...

    Isso sim seria ofensivo, agora proibir o uso afeta a religião e religião é algo muito importante culturalmente...

    Eles estão se adaptando na medida em que não pedem que uma francesa use a burqa, da mesma forma, você não vê mulheres ocidentais (ok, alguns casos nósa sabemos, mas a maioria não)usando a burqa em países orientais...

    Veja quantos jogadores de futebol, por exemplo, vão com suas famílias jogar no Katár, Arábia e etc.

    O último caso foi o do Roger (acho que está no Grêmio hoje) e sua mulher à época era a atriz Deborah Secco. Ela foi visitá-lo diversas vezes (tiveram, inclusive, matérias no Globo Esporte) e nunca usou a 'dita-cuja'.

    Nenhuma lei proíbe o uso do capacete em bancos, por exemplo. Todos achamos estranho quando um motoboy utiliza e ficamos desconfiados, mas nenhuma lei proíbe...

    []'s

  17. .ponto says:

    Me parece mais sensato permitir que a cultura de um certo grupo possa se instalar em nosso território sem necessidade de adaptação, a menos quando envolve assuntos mais intensos, como o exemplo dado do chinês e o cachorro, se bem que ele não tentaria comer o teu cachorro, e sim criar o dele para comer, o que nos colocar em outra patamar de discussão que prefiro deixar para os vegetarianos. Acredito que, ao permitir que outras culturas se instalem em nosso território, devemos criar uma ação de compreensão cultural para os nossos, afim de que entendamos a tal cultura do outro. Desta maneira, no caso da burca, compreenderíamos os motivos deles, o que não quer dizer que concordaríamos, e estaríamos mais dispostos a conviver. Sem dizer que isso significa enriquecimento cultural. Realmente o significado que a burca carrega em si pode ser ofensivo para muitos, mas não quer dizer que ela precise ser proibida, afinal não é o ofendido pela burca que é obrigado a usa-la, então desencana. Sobre a exclusão que a cultura pode gerar, acho que é um ponto muito interessante. Ainda estou pensando sobre isso, mas adianto que, com uma ação cultural como coloquei à cima, a convivência ficaria, em tese, mas fácil, talvez até evitando essa exclusão (com excessão dos tradicionais radicais, de ambas as partes, que optariam por nenhum contato. Mas ai seria uma questão do indivíduo).

  18. Rafa says:

    Que a burca é um artefato de uma religião (uma facção mínima desta, diga-se)e proibí-la interfere no seu exercício, ninguém nega.
    Mas e quando uma religião e uma cultura interfere totalmente no ser humano?
    No caso, as mulheres debaixo desses panos.Elas não pediram pra nascer nessa famílias e "ai" de se rebelarem: podem, pela "lei" religiosa, tomar chibatadas como um escravo brasileiro do séc.17.
    Falando em escravos,muito se perguntava, na época da Abolição:"Mas e os fazendeiros?Não é justo eles terem esse prejuízo todo!Que barbarie!".Questão de reflexão.
    É uma ação humanitária, no fim das contas.

    Se a doida quer usar burka por livre iniciativa, está OK.
    Se ela não quer, nem pai, nem avô, nem ninguém pode obrigá-la e o Estado francês vai garantir isso.É esse o foco e não perseguir uma minoria (como faz a Suíça).Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.Mas, por vias de controle, a medida mais rápida (e doída) é proibí-la.Paciência.

  19. Anônimo says:

    Os muçulmanos tem todo direito de usar a burca nos paises deles, não onde vivem sob uma outra cultura. A Burca é uma afronta aos costumes ocidentais. Se querem viver de acordo com seus costumes, os muçulmanos deveriam voltar aos seus paises de origem e viver como quiserem lá. Ninguém os obrigou a viver na França ou na Belgica. Nos paises deles eles são implacáveis com as turistas que são obrigadas a cobrir o rosto para não serem mal tratadas. Por que teria que ser diferente nos paises ocidentais. Se os costumes dos paise muçulmanos são tão importantes para eles e elas, que retornem aos seus paises e deixem o ocidente.

  20. A liberdade é um valor tão sagrado e absoluto que é por causa da liberdade que imbecis como vocês podem vir nesse blog vomitar suas asneiras. O dono do blog, por ser coerente com o que acredita, não excluiu as asneiras que alguns escreveram, por mais que suas argumentações fossem pobres, incoerentes ou desonestas.
    Portanto, é em nome dessa liberdade que devemos tolerar que essas mulheres usem a burca. A França é um país contaminado pela ideologia politicamente correta, de esquerda. E é o berço de uma revolução que pretendia ser um marco da defesa dos direitos e da liberdade. Mas é por influência dessa revolução que hoje a França reage contra crenças religiosas acreditando que cabe a um governo definir até que ponto cada um pode crer. Esquerda = Hipócritas

  21. Rafa,

    Na verdade a lei diz justamente que elas NÃO PODERÃO usar a burqa, então se "a doida quiser usar" não está ok, este é meu ponto, a decisão ao fim e a cabo deve ser DA MULHER, não do homem nem do estado.

    "fútil, inútil !algo sem mérito!" vamos com calma que o andor é de barro.

    Foi em nome dos meus princípios que liberei seu comentário, bem como o comentário de um anônimo aí pra cima que exagerou nos 'psicopatas de esquerda', mas vamos manter a calma ;)

    Obrigado a todos pelos comentários!

  22. .ponto says:

    Estranho como nunca vejo uma discussão evoluir, pelo menos não tive este prazer até hoje. As pessoas sempre postam suas opiniões, afim de serem absolutas, mas não tentam absorver o que é dito pelo outro. É ego, orgulho exacerbado? Acredito que sim, pois eu mesmo quando penso em postar algo em uma discussão como esta, tenho a tendência de atacar o que os outros escreveram, sempre negando e negando e negando, mas nunca absorvendo as palavras dos outros em prol de uma opinião melhor. Felizmente uma tendência não é uma regra...ufa!
    Está todo mundo atirando opinião em cima de opinião e assim continua. Até agora ninguém, mas ninguém mesmo, aqui, desenvolveu algo em cima de algum post afim de formar uma opinião mais sólida (com exceção do nosso colega administrador do blog). Apenas gritaram suas opiniões, muitas estupidamente desnecessárias, afim de dizer ''eu sei, eu posso, eu dito...blá blá blá''. Enfim, esta é um impressão minha. Posso estar errado.
    Quanto a burca, eu pensei sobre o que foi dito quanto a adaptação obrigatória por estar em um país de cultura diferente, e digo que isso me pareceu imposição infantil. Entendo que a burca ofenda algumas pessoas pelo significado que carrega, mas dai a proibir uma pessoa de usá-la não me parece sensato. Concordo que a mulher que não quiser usá-la estaria livre para expressar a sua repúdia, mas não é o caso na França. Este país quer ou proibiu toda e qualquer mulher de usá-la, e isso é uma atitude, ao meu ver, que vai contra o próprio princípio de liberdade. Proibir algo que denigre a liberdade me parece o mesmo que denegrir a própria, estou errado?
    Ainda penso sobre uma possível separação cultural que a convivência entre duas culturas diferentes pode causar, e acho que é um ponto realmente forte. Mas achar que proibindo um dos lados se resolve o problema ainda me parece ruim, pois proibir me remete a não ensinar, a não agregar conhecimento, e isso me lembra o processo de ''emburrecimento'' social pelo qual passamos na educação de nosso país. O caso das pulseiras do sexo, por exemplo. Elas foram proibidas, mas as crianças continuam se aventurando no mundo do sexo de maneira, ao meu ver, absurda, pois o papo não é desenvolvido, apenas reprimido. No entanto é também uma impressão minha, da qual não posso dar nenhuma certeza por não estar por dentro do sistema educacional atual.
    Bem, vamos tentar deixar a vontade de ser absoluto de lado e admitir, se for o caso, que talvez estejamos errados. Q tal? Agora, quanto aos comentários como o do anônimo dos psicopatas de esquerda, entre outros do tipo, acredito que não são merecedores nem mesmo de atenção. Mas cretinagens a parte, desejo uma boa discussão a todos!

  23. Anônimo says:

    a burca é uma tradição Islâmica, ninguém tem se meter nas tradições religiosas... as freiras usam aquelas vestes nas ruas e tudo bem...

  24. luci says:

    atualmente tou morando na frança e posso te dizer que eh CHOCANTE ver uma mulher de burqa. a primeira vez que vi, nao consegui desviar os olhos, me senti idiota. sou feminista e, como tal, era de se esperar que eu tivesse um posicionamento contrario ao uso da burqa. penso que devemos respeitar a cultura alheia, mas me perco nas contradicoes, afinal, decepar clitoris faz parte da cultura de certos povos e eu sou totalmente contra isso. que nao venham me dizer que se trata de exemplos diferentes, ja que a dor fisica eh algo universal e que a burqa, muitas vezes, nem chega a ser algo incomodo pras mulheres que a usam. pra mim eh a mesma coisa: como ocidental, a burqa eh objeto de opressao, tal qual o é a mutilacao genita feminina. finalmente, nao consigo opinar sobre a questao, mas ao menos nos lugares publicos, qualquer tipo de objeto religioso deveria ser proibido.

  25. luci says:

    nao li isso antes de postar o comentario anterior:

    "a decisão ao fim e a cabo deve ser DA MULHER, não do homem nem do estado".

    acho que voce foi um pouco inocente achando que uma mulher que usa veu tem a opcao de fazer essa escolha. ela nao tem, seja porque ela CRESCEU usando o veu, dentro de uma cultura que usa o veu (a maioria nao vê nenhum problema no uso), seja porque, ainda que ela desejasse nao usar, a pressao da cultura, da familia, do marido, nao permitira que ela deixasse de usar o veu. a gente tem que lembrar que essa proibicao pode encarcerar muitas mulheres nas suas casas. nao pode se cobrir na rua? entao, fica em casa :)

  26. Luci,

    É provável que eu tenha sido ingênuo sim... até porque sou homem e vivo no Brasil, tentei me colocar na situação, nem sempre é possível.

    No entanto, eu acredito que uma mulher que use a burca na França não sofre a mesma repressão que sofreria em um país islâmico. Há toda uma cultura ao redor...

    De qualquer forma, acredito eu, proibir a burca não diminui a repressão dela de maneira alguma. Concordaria se a opção fosse 'proibir a obrigação da burca', com as mulheres sendo incentivadas a denunciar, com campanhas educativas {{que sim, levam séculos para funcionar}} para mudança de cultura e tudo mais...

    Acho que no caso francês, com Sarkozy envolvido, me parece muito mais xenofobia provocada por uma associação de ideias muçulmano = terrorista do que defesa dos direitos femininos...

    Mas como disse, sou homem e nunca vivi nenhuma discriminação por isso...

Novo Comentário:

Quem fala o que quer ouve o que não quer. Se você estivesse certo não comentaria de forma anônima.
Sempre que o autor responder a resposta estará dentro do comentário separada por {{ resposta do autor }}.

O comentário requer registro pelos motivos explicados no Post Esclarecimentos